<img height="1" width="1" style="display:none;" alt="" src="https://dc.ads.linkedin.com/collect/?pid=44935&amp;fmt=gif">

Vale a pena tirar um período sabático?

o que é ano sabático

Quando eu embarquei no meu voo para Paris no verão passado, para um período sabático de 3 meses, eu estava na expectativa de cumprir vários projetos: 

  • Escrever um livro para crianças; 
  • Participar de um workshop para escritores; 
  • Aprender a pintar;
  • Ficar fluente em espanhol; 
  • Começar um podcast. 

Após 2 anos sem férias, fazer um sabático era exatamente o que eu precisava para descansar e voltar para o trabalho com 100% de energia renovada. Mas as minhas expectativas estavam um pouco fora da realidade.

Eu estava prestes a descobrir que ter um sabático de sucesso requer reduzir o seu foco, entender as limitações, gerenciar expectativas e, acima de tudo, aceitar os imprevistos.

A origem do ano sabático

A palavra “sabático” está relacionada a “Sabbath”, o termo bíblico para um dia de descanso, ou o sétimo dia. 

De acordo com a lei Judaica, as áreas agrícolas em Israel devem permanecer intocadas — nada de irrigar, plantar ou colher — a cada 7 anos, dando ao solo um tempo de recuperação. O período sabático tem o mesmo significado para humanos: a cada 6 anos ou mais, profissionais são recompensados com uma pausa estendida para descansar e tocar outros projetos revigorantes e que contribuam para seu trabalho.

Antes um benefício associado apenas à academia (Harvard foi a primeira a instituir os sabáticos em 1880), agora o sabático está se popularizando também no mundo corporativo. Por exemplo: 

  • A HubSpot oferece um período sabático de 1 semana com tudo pago + 5000 dólares para quem completa 5 anos de empresa. 

  • A Salesforce oferece 1 semana de sabático (despesas não inclusas) para cada ano trabalhado.

  • Já a Adobe dá 4 semanas de sabático com tudo pago para quem completa 5 anos de empresa também.

Coincidentemente, meu sabático caiu no 7˚ ano de trabalho como escritora freelancer. No retorno, ficou claro para mim que esses 3 meses sabáticos foram bem positivos para mim e meus clientes.

A ciência está aí confirmar que fazer intervalos melhora a produtividade, mas o que dizer desses períodos sabáticos mais longos? Qual o significado do ano sabático para a produtividade e a criatividade? Para responder a essas perguntas, eu decidi analisar as pesquisas científicas já produzidas na área e minha própria experiência. Acompanhe os insights a seguir!

O que é um ano sabático?

ano sabático o que é

As palavras “sabático” e “férias” são frequentemente usadas como sinônimos, mas há 2 grandes diferenças entre as duas palavras:

  • Sabáticos são mais longos do que férias. Em média, o estadunidense tira 2 semanas de férias ao ano, mas o sabático no mundo corporativo dura de 4 a 8 semanas e, na academia, é possível experimentar o que é 1 ano sabático inteiro.

  • Diferente das férias, o sabático tem um objetivo e deve beneficiar o seu trabalho de alguma forma. O sabático deve ter um propósito e esse propósito precisa ser benéfico à organização empregadora. Os professores geralmente sabem como planejar um ano sabático para se aprofundar nas suas pesquisas ou finalizar um livro. As universidades exigem que os docentes submetam um pedido de sabático detalhando o que eles pretendem executar. Veja por exemplo o formulário de pedido de sabático da University of South Carolina, que diz:

“O período Sabático tem o intuito de proporcionar aos docentes que trabalham em período integral uma pausa nas suas tarefas usuais para executarem projetos significativos, planejados para melhorar a sua competência como professores e pesquisadores e, assim, ampliarem a sua contribuição futura para a missão da Universidade.”


Então, o que é um ano sabático? Não, não se trata de férias mais longas. Em outras palavras, é um intervalo para você executar um projeto e retornar com novas pesquisas, ideias ou criações que irão beneficiar a sua carreira e a organização.

Os benefícios de um período sabático

Por que alguém deveria fazer uma pausa no trabalho por algumas semanas? E afinal, por que empregadores permitiriam isso? De acordo com pesquisas, há muitos benefícios:

  • Os períodos sabáticos podem dar vazão a novas criações e descobertas. Essa é uma das principais razões pelas quais as universidades abraçaram o sabático. Os professores são liberados para executar pesquisas que seriam prejudicadas por suas tarefas usuais em sala de aula. E a ciência mostra que se concentrar em outra atividade que não o seu trabalho pode melhorar a sua habilidade de pensar em novas soluções, um fenômeno conhecido como jogo combinatório.

  • Pode melhorar a retenção dos funcionários. Os períodos sabáticos estão sendo oferecidos como recompensa após 5 ou mais anos de trabalho, o que é um ótimo incentivo para aumentar a retenção das pessoas na organização. Conforme o depoimento de uma profissional no blog da Intel: “eu acho que as pessoas valorizam muito o benefício de tirar um sabático. Eles fazem contagem regressiva e pensam no primeiro sabático, mesmo quando não estão trabalhando.”

  • Pode melhorar a motivação e produtividade na sua equipe. Além disso, 75% dos gestores (no mesmo estudo acima) disseram que a relação com a diretoria se tornou mais produtiva devido à oportunidade de terem trabalhado juntos na implementação do período sabático na organização.

Os riscos de tirar um sabático (e como minimizá-los)

Tirar um sabático no trabalho é uma coisa ótima (especialmente se for você tirando), mas a grande pergunta é: quais são os riscos para a empresa e para os profissionais durante a ausência prolongada?

Para a empresa

⚠️Risco: os profissionais podem pedir demissão após voltarem de um sabático. Se a empresa passa a oferecer um sabático com tudo pago, ela já calcular as possíveis perdas no caso do pedido de demissão após o retorno.

Solução: criar um acordo em que o profissional deva ficar por um certo tempo após o sabático ou, de outro modo, terá que reembolsar a empresa pelo período de ausência.

⚠️Risco: oferecer sabáticos com tudo pago pode colocar a empresa em uma situação financeira complicada. Pagar enquanto essa pessoa não está trabalhando pode prejudicar os recursos financeiros da empresa.

✅Solução: considere oferecer 50% do pagamento ou faça um contrato declarando o que precisa acontecer caso o investimento não seja retornado.Pode parecer contraintuitivo pagar pelo tempo que o profissional não está trabalhando, mas lembre-se de que o propósito do sabático não é dar ao colaborador umas férias pagas, mas sim investir nessa pessoa para que ela volte ao trabalho com novas habilidades e com as energias renovadas para melhorar a organização no longo prazo.

⚠️Risco: o sabático de alguém pode gerar sobrecarga em quem ficou no escritório. Ficar sem um membro da equipe por 3 ou 6 meses, ou mesmo 1 ano parece impossível, especialmente se estamos falando dos executivos.

✅Solução: dê bastante tempo de pré-sabático para preparar e treinar colaboradores interinos. Além disso, planeje como vocês poderão entrar em contato durante o sabático caso você precise da sua assistência.

⚠️Risco: colaboradores podem não ter o retorno sobre investimento esperado.Infelizmente, é possível que um sabático não compense da maneira como o empregador espera que aconteça. Em um estudo de Michael Miller e Kang Bai, docentes que tiraram um ano sabático para aprimorar sua forma de ensinar não mostram melhorias após o retorno, de acordo com a avaliação dos estudantes. De fato, a única mudança estatisticamente significativa foi que a satisfação dos estudantes caiu.

✅ Solução: alinhar expectativas e se preparar completamente.
Os autores do estudo recomendam que a chefia de departamento assuma um papel mais ativo no trabalho pré-sabático para “alinhar as expectativas do docente e do departamento, preparar a saída e a reentrada do docente e promover e demonstrar o sucesso do seu sabático.” É também importante notar que os sabáticos podem melhorar aspectos que são difíceis de medir, como a criatividade. Então nem sempre aprimorar os resultados da organização reflete o que é um ano sabático ou seu propósito.


Para os profissionais

⚠️Risco: pode ser difícil voltar ao trabalho. Baseado na minha própria experiência e em uma pesquisa que fiz, a parte mais difícil do sabático é voltar ao trabalho.

✅Solução: leve isso em conta antes de fazer o sabático e busque ajuda depois. Algumas empresas permitem que colaboradores que estão voltando de um sabático façam uma apresentação sobre o que aprenderam enquanto estavam fora como forma de reinserção e compartilhamento com o time.

⚠️Risco: Receber apenas 50% do salário pode prejudicar o sabático em termos financeiros.Como autônoma, eu não fui paga por nenhuma empresa para tirar meu sabático. O estresse de ver o dinheiro sair da minha conta bancária todos os meses sem ver nenhum dinheiro entrando foi sufocante em alguns momentos.

✅Solução: ganhe dinheiro extra e economize o suficiente pensando no sabático e no tempo sem remuneração. Além disso, você pode se aplicar para bolsas e benefícios que ajudem a financiar o seu sabático.

⚠️Risco: profissionais podem perder o trabalho após o sabático. No meu caso, eu sabia que se deixasse meus clientes por 3 meses havia uma chance de que eles me substituíssem por outro freelancer. Para quem é empregado, pode haver receio de sofrer uma demissão enquanto estão fora.

✅Solução: tanto empregador quanto colaborador devem ser completamente transparentes sobre suas expectativas. Tenha uma conversa aberta com a gestão sobre o que pode acontecer enquanto você estiver fora e quando retornar. Você também pode pedir um contrato que garanta que você não será substituído enquanto estiver fora, ou que lhe garanta um emprego por um certo período de tempo após seu retorno.

Como planejar um ano sabático e aproveitá-lo ao máximo

Em um estudo publicado em 2010, James Campbell Quick e seus colegas conduziram um experimento com membro do corpo docente de 10 universidade de Israel, Nova Zelândia e Estados Unidos. 

Ao todo, 129 pessoas que tiraram um sabático foram combinadas com 129 controles (docentes do mesmo nível, senioridade, sexo e departamento que não haviam tirado um sabático). As pessoas e os controles foram testados antes, durante e depois do seu sabático, e os pesquisadores concluíram que, em geral, os sabáticos promovem, sim, o bem-estar

Os autores do estudo também compartilharam alguns insights que podem ajudar a entender o que é um ano sabático e como aproveitá-lo da melhor forma a seguir.

Conheça suas limitações e habilidades. Os participantes do estudo que experimentaram a maior recuperação do burnout foram aqueles com alta autoeficácia no repouso, o que significa que eles acreditavam na sua habilidade de vencer desafios de como se ajustar a novas circunstâncias ou lidar com situações novas. Então, se você quiser aproveitar o seu sabático ao máximo, os pesquisadores recomendam customizá-lo de acordo com suas habilidades e necessidades. Colocar-se em uma situação que está muito distante da sua zona de conforto pode prejudicar o quando você conseguirá relaxar.

Busque ter controle sobre o seu trabalho enquanto você está em um sabático. Mesmo após voltar ao trabalho, docentes que consideravam ter mais controle durante seu sabático —como ser capaz de decidir quando e como trabalhariam — apresentaram níveis de estresse significativamente menores.

Ir para o exterior é mais recompensador, mas também tem um risco maior.Docentes que passaram seu sabático fora do país se beneficiaram mais do que aqueles que ficaram em casa. No entanto, infelizmente, o estudo diz que “aqueles que moraram fora se beneficiaram mais, mas pagaram um preço maior ao retornar.”

A parte mais difícil do processo de um sabático muitas vezes é o retorno, também conhecido como “reentrada”ou “repatriação”. Muitas pessoas experimentam o choque de cultura reverso ou mesmo depressão ao retornar ao trabalho depois de um longo período fora. Algumas empresas contratam coaches de sabático para ajudar os profissionais no retorno ao trabalho.

Saber como se desligar do trabalho enquanto está fora. A descoberta mais significativa do estudo de Quick foi que o desapego — a redução do contato com seu local de trabalho — teve o maior impacto sobre o bem-estar de quem tirou o sabático. Os pesquisadores explicaram isso da seguinte forma: 

“Se você se importa com o bem-estar de seus colaboradores, deixe-os em paz quando estiverem fora!

período sabático

Com base em mais pesquisas, aqui vão   mais dicas de estratégias para aproveitar ao máximo o seu sabático:

  • Foque em apenas um objetivo. A ciência já mostrou várias vezes que independente dos nossos esforços, podemos nos concentrar apenas em 1 coisa de cada vez. Ou seja, ser uma pessoa multitarefa não funciona. Então, em vez de ter 10 objetivos para o seu sabático, escolha apenas uma das suas metas e objetivos pessoais e dê o seu melhor.

  • Tenha um plano específico que indique como, quando e onde você atingirá o seu objetivo.Um estudo de 2002 publicado no British Journal of Health Psychology descobriu que não é suficiente ter a intenção de atingir um objetivo (ex. “eu vou fazer exercícios”). Os participantes tiveram mais chances de manter seus objetivos quando tinham um plano detalhado sobre como, quando e onde fariam aquela atividade (ex. "eu irei me exercitar com o auxílio de vídeos de step aeróbico na sala de estar às 18h, assim que voltar do trabalho.”)

Tirar um sabático do trabalho vale a pena?

De acordo com a pesquisa, o sabático traz muitos benefícios, incluindo a redução do burnout, a melhoria na saúde e maior retenção de colaboradores. Mas isso vem com riscos como a possível perda de dinheiro, tanto para colaborador quanto para empregador, dificuldades de voltar ao trabalho e não compensar o retorno sobre investimento.

No meu caso, passar 3 meses sem ver o dinheiro entrando foi angustiante em alguns momentos, e voltar para o meu trabalho foi muito mais estressante do que a vida pré-sabático. 

E quanto aos meus objetivos de escrever um livro para crianças, frequentar um workshop para escritores, aprender a pintar, ficar fluente em espanhol e começar um podcast? Eu completei apenas 1 dos 5. 

Se eu reduzisse o sucesso do meu sabático ao quanto eu realizei essas atividades, então ele teria sido um fracasso.

Qual é o valor de ter superado meus medos e conquistar um dos meus sonhos de vida, que era cantar como uma artista de rua em Paris? Como quantificar os benefícios de escrever poemas dos quais eu tenho um orgulho imenso? Quanto valem as novas amizades e experiências incríveis?

Nas palavras de Miller e Bai:

"Uma das primeiras dificuldades para argumentar em favor do sabático é a inabilidade de medir ou, de alguma forma, quantificar os benefícios dos sabáticos". Eles reconhecem que, infelizmente, o estudo deles não ajuda muito nesse sentido também, mas apenas "dá continuidade à frustração pela falta de métricas claras que apoiem os programas de períodos sabáticos."

Mesmo assim, eles continuam afirmando que "períodos sabáticos podem fazer uma diferença substancial na carreira e no trabalho intelectual."

Então, talvez a questão não seja entender exatamente o que é um ano sabático e julgar - necessariamente - seus benefícios por um ganho quantitativo de produtividade.ao Talvez a questão seja apenas entender esse tempo de descanso como necessário para reenergizar as pessoas, da mesma forma que a terra descansa em uma estação e dá frutos em outra.


Seja algo negativo ou positivo, adoraríamos saber o que você acha. Escreva para atendimento@trello.com.  

Leia mais: Como descansar a mente sem precisar parar de trabalhar