<img height="1" width="1" style="display:none;" alt="" src="https://dc.ads.linkedin.com/collect/?pid=44935&amp;fmt=gif">

Professores usando Trello: Como fomentar a genialidade com atividades criativas para sala de aula

Owwn… o sentimento é mútuo, galera.

Você é mais inteligente que um aluno da quinta série? Certamente não mais que esses Gênios, porque eles estão usando o Trello para responder a essas perguntas difíceis.

O conceito da Hora da Genialidade se tornou um mecanismo popular nos Estados-Unidos para educadores incentivarem seus estudantes a explorar seus interesses com atividades criativas para sala de aula.

Para evitar lacunas no aprendizado, grande parte do currículo nos EUA é padronizado. Porém, o movimento da Hora da Genialidade é um ótimo meio de injetar a exploração aberta em vários aspectos diferentes do nosso mundo.

O conceito básico é que durante uma hora, duas vezes por semana, alunos explorem um assunto de sua escolha. Eles pesquisam sobre o mesmo assunto por 12 sessões de uma hora, antes de apresentar suas descobertas através de um meio também de sua escolha.

Acabaram-se os dias dos dioramas: esses jovens inovadores escolhem postar suas descobertas em um website, um vídeo, ou uma apresentação em slides que eles mesmo fazem!

Paul Solarz é um professor de 5a série que é muito dedicado a adaptar tecnologia à sala de aula, e que inova constantemente com seus gênios florescentes, por meio de atividades criativas para sala de aula.

Atividades criativas para sala de aula: desperte gênios!

Fazendo Perguntas Difíceis

Atividades criativas para sala de aula

A primeira parte das atividades criativas para sala de aula da Hora da genialidade consiste na escolha do assunto pelos alunos, e em seguida no desenvolvimento de perguntas abertas que exploram o tema.

Porque um dos requerimentos necessários das perguntas dos alunos é que o assunto seja aberto, e que não leve a conclusões objetivas, Paul desafia seus alunos a fazerem perguntas Difíceis e Complicadas.

Perguntas simples podem ser facilmente respondidas com uma busca no Google, e isso tira toda a diversão.

“O objetivo é ter uma pergunta grande o suficiente para que o aluno fique empolgado e interessado durante todo o período,” Paul explica. “Não é algo que pode ser respondido com o Google; são perguntas que necessitam que você sintetize informações durante vários dias, e a partir de várias fontes para tentar encontrar uma resposta que o deixe satisfeito.”

Elaboração de roteiros com o Trello

Os alunos passam a primeira hora da Hora da Genialidade elaborando uma Pergunta Essencial, recebendo a aprovação do Sr. Solarz, e inscrevendo-a em sua própria lista do Trello.

O nome da lista é a Pergunta Essencial que eles querem responder. Alguns exemplos são:

  •  “O que causa uma era glacial e como isso afeta nosso planeta?”
  • “Como os Legos mudaram ao longo do tempo e como podemos usá-los na sala de aula?” (Bem pensado, Charlie)
  •  “Quanto Alemão eu consigo aprender em 12 aulas, e depois ensinar?”
  •  “Como times de futebol desenham seus uniformes e quais são os desenhos diferentes que eles desenvolveram?”
  •  “O que as palavras e os símbolos significam no dinheiro dos EUA, e por que foram escolhidos?”
  •  “O megalodon existiu, e se sim, quais eram seus dotes e seus talentos especiais?”

 (Gostaria de poder postar todas as perguntas da Hora da Genialidade porque todas são fantásticas)

Cada aluno faz o upload de uma imagem de capa do cartão que está associada ao seu projeto. Em seguida, cada cartão subsequente em sua lista vira um passo em seu projeto.

O objetivo de fazer o roteiro dos seus projetos da Hora da Genialidade no Trello é demonstrar o uso das habilidades funcionais executivas dos alunos.

“É a ideia do planejamento cuidadoso, e de não fazer as coisas de maneira aleatória,” Paul explica. “Estabelecemos nosso propósito para as próximas 12 aulas.”

Identifique o que você sabe, e aprenda o que você não sabe

Depois da imagem de capa do cartão, o próximo cartão indica o passo SQCAAP (Em inglês KWHLAQ):

S - O que eu sei?

Q - O que quero saber?

C - Como eu descubro?

A - O que aprendi?

A - Que ações devo tomar?

P - Que perguntas eu tenho?

Atividades criativas para sala de aula

Os alunos lidam com os SQCs antes de pesquisar, e os AAPs são respondidos depois de completar o projeto. Paul explica que o objetivo não é identificar uma série rígida de passos e depois aderir estritamente a eles durante todo o processo; melhor, um dos elementos chave do exercício é aprender a revisar e se adaptar à medida que o conhecimento do aluno evolui.

“A ideia é que você revise constantemente sua lista do Trello,” diz Paul, “você adiciona cartões, retira cartões, muda cartões, e você deve ter no final um procedimento razoável para o que você fez.”

Weebly é o cartaz dos tempos modernos

O Sr. Solarz diz que a maioria das crianças escolhe apresentar suas descobertas em um website que eles mesmo fazem. Eles também devem produzir um vídeo que acompanhe sua entrega final, e eles frequentemente o postam no site. Dê uma olhada em alguns dos vídeos dos alunos do Sr. Solarz aqui.

Paul usa o Weebly com seus alunos, que é uma plataforma de criação de sites que adultos também usam para fazer sites para suas empresas. Impressionante, não?

Uma última pergunta essencial: Quais são as origens da Hora da Genialidade?

A Hora da genialidade e suas atividades criativas para sala de aula têm raízes na tecnologia, muitos atribuem o conceito de formato aberto a grandes empresas de tecnologia onde desenvolvedores são incentivados a passar uma porção de seu tempo resolvendo problemas que os interessem.

De fato, o Trello nasceu dessa mesma iniciativa: como um projeto paralelo, a equipe de design e desenvolvimento da Fog Creek procurou digitalizar o conceito de etiquetas sendo movidas em um quadro.

Parece apropriado que os novos Gênios, pessoas criativas, usem o Trello agora para fazer suas próprias perguntas, e descubram o processo que os leva a descobrir as respostas.

Agradecimentos especiais ao Paul Solarz, por compartilhar os seus usos criativos do Trello na sala de aula. Leia mais sobre as ideias do Sr. Solarz sobre ensino aqui

Leia também: Sala colaborativa: programas, colaboração e a reinvenção da sala de aula