<img height="1" width="1" style="display:none;" alt="" src="https://dc.ads.linkedin.com/collect/?pid=44935&amp;fmt=gif">

Como ser mais criativo com o jogo combinatório [4 dicas]

como ser mais criativo

Já faz mais de 2.200 anos desde que Arquimedes correu nu pelas ruas da Sicília gritando: “Eureka!” (“Descobri!”), mas, ainda temos muito que aprender com essa história sobre como ser mais criativos.

De acordo com a lenda, o matemático grego descobriu como provar que a coroa do rei não era feita de ouro puro — e descobriu o princípio do empuxo — quando, por acaso, tomou um banho e percebeu que a água transbordou da banheira quando submergiu seu corpo.

Por mais que o princípio de Arquimedes tenha feito contribuições significativas para a física, há outro conceito nessa história que pode nos ensinar como ser mais criativos: o jogo combinatório.

O que é o jogo combinatório?

“O jogo combinatório parece ser a essência do pensamento produtivo.”

- Albert Einstein

O termo “jogo combinatório”, também conhecido como criatividade combinatória, pode ter sido criado por Albert Einstein em uma carta ao matemático francês Jacques Hadamard. Na tentativa de entender os processos mentais dos matemáticos, Hadamard perguntou a Einstein como funcionavam seus pensamentos. (Afinal, quem não iria querer dar uma espiadinha na mente do gênio?!)

Em resposta, Einstein escreveu uma carta, mais tarde publicada no livro Ideas and Opinions (“Ideias e Opiniões” em português), explicando que seu processo de pensamento transcendia o que podia ser comunicado por palavra escrita ou falada, mas que havia “certa conexão entre aqueles elementos e conceitos lógicos relevantes”.

O que ele quis dizer com isso?

Bem, sabemos que Einstein tocava violino sempre que empacava em algum problema difícil, e frequentemente falou sobre como a música influenciava a maneira como ele pensava sobre matemática e ciência. Sua irmã, Maja, dizia que às vezes, depois de tocar piano, ele levantava e dizia:

“Pronto, agora entendi”.

Quer chamemos de jogo combinatório, criatividade combinatória ou plena intuição — todos já tivemos aquele lampejo de ideia, um momento efêmero em que uma solução que estávamos buscando há tempos se revela em uma situação inesperada.

Quer uma dica de como ser mais criativo? Se tomar um banho ajudou Arquimedes a descobrir o princípio do empuxo, e tocar violino ajudou Einstein a formular a teoria do tempo e espaço, o jogo combinatório pode ser o segredo de como treinar seu cérebro para sua próxima inovação criativa.

O que é criatividade e como ela acontece

“Criatividade é simplesmente conectar as coisas.” - Steve Jobs

Congestionamento na via neural a caminho do nada

Para entender por que o jogo combinatório ensina como estimular a criatividade, vamos dar uma olhada em como o cérebro funciona.

Os blocos de construção do cérebro são os neurônios: células nervosas que recebem e transmitem sinais através dos caminhos neurais.

Conforme escreve o professor de psiquiatria da Harvard, John Ratey, em A User’s Guide to the Brain (“O manual de instruções para o cérebro” em português), certos caminhos são formados no nascimento, como os que controlam sua respiração e seus batimentos cardíacos. Outros, no entanto, podem ser manipulados pela aprendizagem.

Então, quando você empaca em alguma coisa, os neurônios do seu cérebro podem literalmente estar presos em um caminho neural que você criou através do comportamento.

A boa notícia é que você pode liberar o caminho escolhendo criar novas conexões — formar um novo caminho neural. Ratey explica: “Uma pessoa que muda seu comportamento intencionalmente pode sair do impasse ao exigir que os neurônios mudem de conexões para efetuar o novo comportamento”.

Se você sente frustração por causa de processos mentais que não levam a lugar nenhum, é como se seu cérebro estivesse passando pelo mesmo caminho para o trabalho todos os dias, pois isso é o que você o treinou para fazer. Porém, se a estrada estiver congestionada e você estiver no trânsito, cabe a você dizer ao cérebro que ele deve tomar uma nova rota para chegar aonde você quer ir.

 como ter mais criatividade

Conforto no que é familiar

Seu cérebro está continuamente se esforçando para manter a ordem e a previsibilidade, e, como resultado, a maneira como ele se comporta pode já estar muito bem estabelecida.

Quando você encontra algo novo, a parte do seu cérebro chamada de córtex prefrontal dorsolateral (DLPFC — sigla em inglês) tem o papel de revisar as regras antigas e aplicá-las a essa nova situação. Ela não quer inventar novos caminhos, se for possível.

Por mais que recorrer a caminhos familiares possa manter você na segurança e conforto, pode também impedir sua criatividade. Portanto, é importante silenciar essa parte do cérebro se você quiser saber como ter ideias criativas para suas soluções.

O jogo combinatório, então, pode funcionar como um exercício para aumentar a criatividade e ajudar você no "como descansar a mente."

Como aumentar a criatividade do seu cérebro que ama buscar padrões

Enquanto a aplicação apressada de lições antigas a novas situações pode limitar sua criatividade, a tendência do cérebro a buscar padrões pode incentivar a inovação também. A psicóloga clínica Victoria Stevens explica:

“Nosso comportamento adepto a buscar padrões é uma parte essencial do pensamento criativo, embora ele também possa gerar suposições e parcialidade falsas quando experiências prévias nos levam a crenças que não questionamos.

(…)

Além disso, encontrar relações, conexões e padrões entre coisas aparentemente diferentes é essencial ao pensamento criativo”.

Então, parece que seu hábito a buscar padrões pode ser útil no pensamento criativo, contanto que você:

  • Questione suas suposições.

  • Tente encontrar padrões onde parece não existir nenhum.

O segundo item é um assunto em que o jogo combinatório pode ajudar. É difícil ligar os pontos quando nossa visão é limitada.

O jogo combinatório permite que você dê um passo para trás, veja o panorama geral e identifique os padrões. Isso pode explicar por que Arquimedes relacionou o problema de descobrir se a coroa era feita de ouro puro ao fato de que sua banheira transbordou quando ele entrou nela.

Como usar a criatividade de 4 maneiras com o jogo combinatório

Agora que você entende como o cérebro humano pode ficar preso a uma rotina graças aos caminhos neurais e ao apego ao que é familiar, vem a pergunta: como você pode libertar seu cérebro e levá-lo ao caminho da inovação? Como despertar a criatividade?

Com base em pesquisas e em exemplos reais de mentes incríveis, aqui estão 4 maneiras de tirar seu cérebro da rotina usando o jogo combinatório:

1. Treine seu cérebro em mais de uma modalidade

como aumentar a criatividade

Aprenda com os atletas: treine seu cérebro em mais de uma modalidade.

Uma velocista olímpica não se prepara para a próxima competição apenas dando voltas na pista de corrida; ela pratica outras atividades físicas como natação, levantamento de peso ou até pilates, por exemplo. Cada atividade de treino “cruzado” trabalha uma parte diferente — mas complementar — do corpo e faz com que ela fique mais preparada na modalidade dela como um todo.

Com o seu cérebro, é a mesma coisa. Se você escreve romances, experimente escrever poesia. Se você pinta, tente fazer uma escultura. Se você mexe com ciência da computação, dê uma explorada em design de produto.

Com o treino de várias modalidades criativas, assim como o treino de várias modalidades físicas, a relação pode não ser óbvia a princípio.

Por exemplo, como tocar violino ajudou Einstein a pensar na teoria sobre matéria e energia? Uma pesquisa da UC Irvine e da University of Wisconsin pode ajudar a esclarecer o assunto. Pesquisadores descobriram que dar aulas de piano para alunos de educação infantil melhorava significativamente seu raciocínio espacial-temporal — uma habilidade essencial para a matemática e a ciência — muito mais do que dar aulas de computação, canto ou nenhuma aula.

“A teoria é que, como a música é estruturada no espaço e no tempo,” escreve Ratey em O manual de instruções para o cérebro, “praticá-la fortalece os circuitos que ajudam o cérebro a pensar e raciocinar no espaço e no tempo, o que é importante na matemática”.

Então, experimente uma atividade diferente dentro da sua área ou relacionada a ela; você vai expandir suas conexões neurais e fortalecer seu cérebro como um todo.

2. Tome um banho (ou faça alguma outra atividade banal)

Em 1990, a NASA ficou atordoada com o problema que tinha nas mãos: como consertar a lente distorcida do telescópio espacial Hubble — até que um de seus engenheiros foi tomar banho. Em um quarto de hotel na Alemanha, o engenheiro da NASA James H. Crocker percebeu que o chuveiro europeu era ajustável para diferentes alturas. Ele notou que, usando o mesmo conceito, eles poderiam criar um dispositivo automatizado para entrar no Hubble e instalar lentes corretivas.

O que aconteceu nessa situação? Primeiro, a criatividade e o relaxamento podem estar ligados.

Fazer algo entediante, como tomar banho, não requer esforço cognitivo significativo, então nosso cérebro fica livre para divagar. E, apesar do que diz a crença popular, um cérebro “em descanso” não está descansando nada.

A ideia da “rede do modo default” é relativamente nova na neurociência; é a região do cérebro que fica mais ativa quando estamos descansando, como durante um devaneio. Alguns pesquisadores acreditam que há uma correlação positiva entre a rede do modo default e a criatividade.

Deixar a mente divagar pode permitir que o consciente dê espaço ao subconsciente, fazendo com que o cérebro conecte ideias divergentes.

Em segundo lugar, distrações podem aumentar a criatividade. Pesquisas da professora da Harvard Shelley Carson descobriram que grandes conquistas criativas estavam associadas à baixa inibição latente, ou à capacidade de filtrar informações irrelevantes, especialmente se os participantes tinham QI alto.

No caso de Crocker, se ele tivesse escolhido dispensar a observação do chuveiro como irrelevante (afinal, o que tinha a ver com o telescópio espacial Hubble?), ele teria perdido completamente o lampejo de ideia.

Para a mente criativa, inspiração pode ser encontrada em qualquer lugar. Às vezes, você precisa apenas se distrair por um tempo suficiente para perceber. Daí a importância de saber como se desligar do trabalho se quiser ter mais criatividade!

3. Volte ao assunto no dia seguinte

Quanto ao processo de descoberta, cientistas propuseram que há um período de incubação em que “processos inconscientes contribuem para o pensamento criativo”. Em seu livro de memórias, Paris é uma festa, Ernest Hemingway revela como ele protegia sua criatividade durante esse processo:

“Aprendi a não pensar sobre nada que eu estava escrevendo desde o momento em que eu parava de escrever até voltar a escrever no dia seguinte. Assim, meu subconsciente trabalhava no projeto e, ao mesmo tempo, eu escutava outras pessoas e observava tudo ao redor…”

Em um capítulo posterior:

“Eu já tinha aprendido a nunca esvaziar a fonte da minha escrita; mas, sim, a sempre parar quando ainda havia algo nas profundezas da fonte, e deixar que ela se reabastecesse durante a noite nas nascentes que a sustentavam”.

Parece que esse autor norte-americano pioneiro estava a um passo de uma descoberta inovadora da neurociência muito antes de seu tempo.

Em 2009, um estudo na University of California San Diego foi publicado sugerindo que o sono pode auxiliar a criatividade combinatória. Em particular, pesquisadores descobriram que os participantes do estudo que entraram em sono REM — o estágio em que sonhamos — mostraram uma melhora de quase 40% de desempenho em um teste de solução de problemas criativos, enquanto os que não entraram em sono REM ou em descanso profundo não melhoraram.

Os autores do estudo criaram a hipótese de que, quando estamos no estágio REM do sono, nosso cérebro é capaz de integrar melhor as informações desassociadas, o que é essencial para o pensamento criativo (e pode explicar por que sonhos são tão estranhos).

Então, se você sentir que precisa desempacar de um problema, tente ir dormir. Talvez você tenha uma solução mais criativa no dia seguinte. Aprender como ser criativo desse jeito é bom demais, né?

como usar a criatividade

4. Explore seu lado “copião”

Existe alguma coisa que é realmente original? De acordo com o artista Austin Kleon, a resposta é não.

Em 2005, Kleon teve a ideia inovadora de usar uma canetinha preta para riscar algumas palavras em um jornal até que o texto que restante virasse poesia. Ele até publicou um livro com seus "poemas riscados". O problema era que a ideia dele não era tão original assim: outro artista já tinha feito isso — havia 40 anos.

A descoberta inspirou o TED Talk do Kleon: Steal Like an Artist (“Roube como um artista” em português) e um livro com o mesmo título, em que ele declara que nada é original, e todos os artistas criam em cima de obras passadas.

Então, quer saber como ser mais criativo? Em vez de cometer plágio, inspire-se e melhore as criações de outra pessoa.

E como colocar isso em prática?

  • Se você estiver sofrendo de bloqueio criativo, compre um pacote daqueles ímãs de palavras e reorganize as palavras até criar frases criativas na porta da geladeira.

  • Se você não tem certeza de como avançar em um projeto, troque ideias com seus colegas de equipe e veja se eles têm algumas sugestões boas.

  • Ou, se você está criando um produto e não consegue sair de uma das fases do design, pesquise concorrentes que fizeram produtos semelhantes, descubra em quais pontos os clientes deles estão infelizes e desenhe algo novo que soluciona os problemas que seus concorrentes não resolveram.

Como diz Kleon, “Toda ideia nova é apenas uma mistura ou mescla de uma ou mais ideias passadas”. Logo ter mais criatividade não é um "bicho de 7 cabeças", concorda?

Como aumentar a criatividade? Tchau, ferrugem cerebral!

Apesar de não fazermos contribuições científicas da magnitude de Arquimedes ou Einstein, é reconfortante saber que até as maiores mentes da história caem na rotina às vezes. Se você precisa de alguma forma nova de pensar, use o jogo combinatório para dar uma acelerada no seu cérebro:

  • Treine múltiplas modalidades criativas para expandir as conexões neurais do seu cérebro.

  • Deixe sua mente vagar fazendo algo banal, como tomar banho.

  • Vá dormir e deixe seu subconsciente conectar os pontos durante o sono REM.

  • Use o trabalho de outra pessoa como trampolim de inspiração e melhoria.

Siga essas 4 dicas geniais de como ser mais criativo, e não vai demorar para você ter seu próprio momento de “Eureka!”. Ah, e tomara que você esteja de roupa na hora!


Seja algo negativo ou positivo, adoraríamos ouvir o que você acha. Escreva para atendimento@trello.com.

Leia mais: Exercícios para a criatividade: mostre novos caminhos ao seu cérebro