Conflitos no trabalho em equipe: os inimigos inevitáveis da produtividade

conflitos de trabalho em equipe

Jogar, competir, desafiar. Desde pequenos nossas relações em grupo mais divertidas envolvem um confronto positivo, uma competição saudável, como nos esportes, nas feiras de ciências e até nos videogames.

E a vida, ensina os escritores, não teria nenhuma graça sem um conflito, sem um dilema, ou um desafio a ser superado. Afinal, o que seria do Batman sem o Coringa ou do Super-homem sem Lex Luthor?

Segundo o livro de Ernesto Berg: “O conflito nos tempos atuais é inevitável e sempre evidente. Entretanto, compreendê-lo, e saber lidar com ele, é fundamental para o seu sucesso pessoal e profissional”.

Assim, conflitos no trabalho em equipe não são apenas normais, como podem, inclusive – tomadas as devidas precauções – estimular o desempenho e fortalecer o trabalho das equipes em disputa.

É claro que se isso não for feito com cuidado, podem ser criadas panelinha e silos corporativos, o que, de forma alguma, é o objetivo deste tipo de exercício.

Nesta postagem vamos mostrar algumas dicas de como lidar com os conflitos no trabalho em equipe e manter uma atmosfera produtiva na empresa, visando o aprendizado, o crescimento e o estímulo a soluções criativas.

É possível evitar os conflitos no trabalho em equipe?

Conflito não é confronto. Afinal, sem troca de opiniões contrárias, não existirá evolução nas ideias. Como dizia Nelson Rodrigues, “toda unanimidade é burra”. Afinal, se todos concordássemos em tudo, nada mudaria nunca.

E isso só confirma nosso entendimento de que diferentes visões e pontos de vista, ideias novas e, principalmente, sair da zona de conforto, têm um grande potencial para gerar conflitos, mas que devem ser direcionados para uma conclusão positiva, um novo arranjo dessas forças em conflito em busca de melhoria contínua e da produtividade.

O que se deve evitar a todo custo, no entanto, é que os conflitos se transformem em confrontos, levando a consequências negativas para a produtividade do grupo, tais como:

  • Sonegar informações
  • Criar um clima organizacional ruim
  • Receio de sugerir inovações e ser criticado

Para ajudar você a enfrentar esses dilemas e impasses que estão trazendo menos produtividade para seu time, vamos apresentar as principais causas da maioria destes problemas, seguidas de algumas ideias práticas para a gestão dos conflitos no trabalho em equipe.

Conflito: consigo mesmo ou com a situação?

Esta é uma boa notícia: na maioria das vezes os conflitos não são necessariamente uma questão de confronto entre pessoas, mas de ideias, ou ainda, causados por um contexto desfavorável.

conflitos

Assim, se as pessoas fossem mudadas por outras, os conflitos no trabalho em equipe continuariam, pois o contexto permanece.

Você vai entender melhor isso com os exemplos abaixo.

Conflitos pessoais internos

Não estamos falando aqui de um conflito pessoal com outra pessoa, o que seria um conflito interpessoal, mas de conflitos internos ao indivíduo. Pessoas que passam por momentos difíceis, de crise na carreira, dificuldades pessoais, falta de motivação e outros como estes, podem externar isso de uma forma que atrapalhe a colaboração do grupo, gerando conflitos no trabalho em equipe.

Esse tipo de conflito da pessoa que se estende ao grupo, muitas vezes, se manifesta pela famosa síndrome de Burnout ou com sintomas de confusão mental, conhecidos como “brain fog”.

A solução para isso, além de aconselhamento do líder, pode estar em práticas de vida mais saudáveis, que buscam o equilíbrio entre o trabalho e avida pessoal, tais como o desenvolvimento da resiliência, o controle da ansiedade, técnicas de relaxamento e de atenção plena, além de adotar uma postura menos apegada ao acúmulo de bens e tarefas, como difundido pelo método KonMari.

Portanto, a solução deste conflito não está na equipe, mas em um de seus integrantes, que precisa de orientação e apoio.

Mudanças na organização

A gestão da mudança organizacional é um dos temas mais estudados na administração de empresas exatamente porque gera muitos conflitos no trabalho em equipe.

E com as atuais características do ambiente mercadológico, com cenários cada vez mais competitivos, a criatividade e a inovação nas empresas - e a consequente mudança que elas geram - estão sendo cada vez mais exigidas das equipes.

Por mais que os profissionais estejam preparados e conscientes disso, o ser humano tem uma resistência natural à mudança e ao novo: o desconhecido causa receio!

É nesse contexto que os conflitos internos nas equipes (ou entre elas) podem surgir muito mais devido a uma insegurança ou incerteza de alguns de seus membros, que se apegam ao “status quo”, do que por uma questão de conflito direto com outras pessoas ou grupos.

Como dissemos, esses processos de mudança foram largamente estudados e recomendamos que você assista um TED Talk ministrado por Jim Hemerling que mostra a melhor maneira de passar por estes momentos tão importantes em sua organização e conseguir contornar os conflitos no trabalho em equipe.

Basicamente Hemerling passa 5 conselhos:

1. Mostre claramente o propósito da mudança:

Faça isso de uma forma inspiradora. Se as pessoas entenderem que não vão “mudar por mudar”, mas que há um propósito positivo em que todos terão um ganho, elas se engajarão no processo.

2. “Aposte Tudo”

Não existe “meia mudança” e este é um fator que só vai trazer mais incertezas para os grupos, se ocorrer. Mostre a todos que a mudança é para valer, vai acontecer mesmo e que a alta direção da empresa está comprometida com ela em longo prazo.

3. Capacitação é fundamental

Se sua empresa está passando por uma transformação digital, por exemplo, é fundamental treinar seus colaboradores para se adaptarem a esta mudança da melhor forma possível, diminuindo gaps de capacitação e conhecimento, e deixando a todos mais confiantes com seu desempenho futuro.

4. Promova o aprendizado contínuo

A mudança vai ocorrer e, antes de se adaptarem a ela totalmente, outra irá surgir, é um processo constante. Deixe isso claro para que todos se preparem para a próxima melhoria nos processos ou nas estratégias da empresa e estejam prontos.

5. Liderar a mudança

Tome as rédeas, aponte os caminhos, auxilie. Assuma seu papel de líder e deixe o ambiente muito mais tranquilo e as equipes confiantes.

Escassez de recursos

No tópico anterior falamos em capacitar as pessoas. Mas outro fator que gera grandes conflitos no trabalho em equipe é a falta de recursos para todos.

Quem nunca chegou em uma sala de reunião com sua equipe - e até com um grupo de clientes -  e descobriu que aquele espaço que havia reservado estava ocupado?

Sim, esse tipo de coisa pode gerar um conflito.

Mas é preciso entender que os recursos sempre serão escassos, este é um dos objetivos da administração: fazer mais com menos. Aliás, esta é uma definição de produtividade.

A solução básica para este tipo de conflito nas organizações é definir critérios e gerenciar expectativas.

Ao delegar a liderança de um projeto para um subordinado, antes de mais nada, defina claramente a quais recursos ele terá acesso e justifique o porquê de outros recursos não estarem disponíveis na quantidade desejada.

E isso não inclui unicamente recursos financeiros, mas equipamentos, tecnologias, sistemas e, principalmente, as horas dos colaboradores que trabalharam com ele neste projeto.

Em seguida, avise os possíveis afetados, tanto os integrantes da equipe, como também -  e principalmente - aqueles que não fazem parte do projeto em si, mas que terão parte dos recursos que estavam acostumados a usar comprometidos com esta ação da empresa.

Se tudo for alinhado antes e justificados com critérios de decisão, a possibilidade de acontecerem conflitos no trabalho em equipe será bem menor.

Divergências de objetivos e metas

objetivos e metas

Este gerador de conflitos no trabalho em equipe pode acontecer em três níveis:

  • Pessoal: as metas e objetivos da empresa não se relacionam com os desejos pessoais do colaborador.
  • Dentro de equipes: disputas por proeminência e liderança em vez de atender aos objetivos da empresa, além do desejo de realizar projetos que os outros membros da equipe não valorizam, são os motivos mais comuns de divergência de objetivos dentro das equipes.
  • Entre equipes: a famosa rixa entre marketing e vendas pode ser um exemplo, assim como a necessidade de controlar custos do pessoal de finanças em contraponto à sede de recursos da equipe de pesquisa e desenvolvimento, e assim por diante.

No primeiro caso, o de conflito entre objetivos pessoais com os da empresa, existe a necessidade de um trabalho de gestão de metas de carreira entre o líder e o membro da equipe, estabelecendo metas pessoais, ações e prazos que ajudem a conciliar as expectativas pessoais com as demandas organizacionais.

Por exemplo: se o colaborador deseja fazer um curso de dois meses no exterior e precisará de férias prolongadas para isso, seu líder deve verificar como conseguir esse benefício, quais serão as contrapartidas do funcionário, quem irá substituí-lo e como esse curso irá contribuir para os objetivos da empresa, também.

Conflitos dentro das equipes costumam ocorrer, como dissemos, entre indivíduos que disputam entre si com o objetivo de serem futuros líderes. Uma solução para isso pode ser começar a delegar projetos a eles, cada um liderando um pequeno grupo.

Mas o segredo está em deixar claro para eles que ambos só terão bons resultados se a colaboração entre esses dois grupos ocorrer e que, caso um dos times falhe, os dois serão considerados responsáveis por isso.

Quanto a pressão social do grupo sobre aqueles que fazem “corpo mole” e não se engajam em projetos de interesse da maioria, isso deve ser tratado com cuidado, novamente por meio de feedbacks, acompanhamento e, se necessário, a transferência dessa colaborador.

Por fim, conflitos entre equipes são naturais e é exatamente por isso que existe uma liderança acima deste nível hierárquico que deve determinar os objetivos estratégicos da empresa e como estes serão alcançados em cada área, cabendo a este líder alinhar expectativas e formular diretrizes que impeçam ou minimizem os conflitos.

Portanto, como você viu, o que deve ser mudado, na maioria dos casos, é o contexto, e não as equipes ou as pessoas.

Em uma postagem anterior do blog, apresentamos 5 sugestões de atividades de team building que podem ser muito úteis não apenas para integrar e motivar, mas também para evitar conflitos no trabalho em equipe, confira: 5 Exercícios de team building: defina e alcance suas metas