Mais flexibilidade no trabalho = mais produtividade?

flexibilidade no trabalho

Muitos de nós temos liberdade na nossa vida pessoal, mas com que frequência sentimos que nosso trabalho está nos impedindo de fazer o que queremos, quando queremos e onde queremos?

Quando se trata de flexibilidade no trabalho, é comum sentir que estamos em luta constante.

E graças a chefes que gostam de microgerenciar e aumentar as expectativas, nossa produtividade e felicidade podem ser deixadas de lado.

Logo depois da faculdade, entrei no mercado de trabalho recém-formada e com os olhos brilhando de tanta empolgação.

Todos os dias, eu ia para o trabalho e ficava sentadinha na mesa das 8h até umas 17h.

No começo me senti muito bem, mas a agenda corporativa começou a desgastar minha felicidade, motivação e produtividade.

Entre outros motivos, não gostava da limitação do meu tempo e energia.

Não gostava de ter que pedir permissão para tirar dias de folga, muito menos de ter um limite de dias que eu podia tirar.

Agora sou freelancer, trabalho remotamente de qualquer lugar do mundo e não poderia estar mais feliz ou satisfeito com minha carreira.

Se você tem esperanças de aumentar sua produtividade e felicidade na carreira, a solução pode ser a flexibilidade no trabalho.

Vamos entender melhor como se pode aumentar a flexibilidade do seu trabalho em termos de onde, quando ou como você trabalha — e talvez até as três opções ao mesmo tempo!

Uma declaração de independência dos microgestores

Levante a mão e dê um berro se você já esteve em uma situação de microgestão.

Talvez um de seus gestores se senta ao lado da sua mesa e fica vigiando quando você chega cinco minutos atrasado.

Ou então, manda mensagem no Slack toda hora para ver quantas tarefas você já terminou.

A microgestão é o oposto da autonomia e existe em toda organização.

No relatório de 2018 sobre as Condições de Trabalho nos EUA (texto em inglês), 60% dos funcionários na pesquisa disseram que não têm a oportunidade de fazer o seu melhor no trabalho.

O motivo principal?

Os chefes estão ocupados demais trabalhando por eles.

Esse é um efeito colateral comum de se ter chefes microgestores.

Em vez de mostrarem aos funcionários o caminho e darem a liberdade para que eles realizem suas tarefas, eles monitoram e examinam seu trabalho e, às vezes, acabam tomando tudo para si.

Além disso, um dos sintomas mais comuns de empresas em que existe muita microgestão é a falta de engajamento.

Quando os funcionários não estão engajados, ficam mais propensos a se distanciar física ou mentalmente do trabalho.

O absenteísmo causado pelo desinteresse, em uma empresa comum de 10.000 funcionários, custa 600 mil dólares em salários anualmente pelos dias em que nenhum trabalho foi realizado.

E isso com certeza afeta a receita final.

Você está concordando com tudo isso e não quer descontar sua frustração na impressora do escritório, certo?

Se sim, aqui estão algumas maneiras para você aumentar a flexibilidade no trabalho.

Não só isso, mas também algumas dicas para você deixar de ser um funcionário microgerenciado e se tornar um funcionário produtivo e animado.

Viva a liberdade!

Em uma pesquisa da Universidade de Birmingham, foi descoberto que 90% dos gerentes reportaram ter “alguma” ou “muita” autonomia e flexibilidade na empresa, comparado com funcionários de níveis mais baixos que sentem ter um nível baixo ou nulo de jornada flexível de trabalho.

Gerentes que tinham níveis mais altos de controle sobre as tarefas e o cronograma do trabalho reportaram se sentir mais felizes no trabalho e valorizarem muito esses benefícios.

Mas, o que é flexibilidade no trabalho?

Curiosamente, a pesquisa concluiu que homens e mulheres valorizavam diferentes tipos de autonomia.

Mulheres valorizavam mais a flexibilidade de horário e local de trabalho, enquanto homens preferiam a flexibilidade sobre as tarefas, o ritmo do trabalho e a ordem para executá-lo.

A liberdade e a felicidade estão intrinsecamente ligadas à habilidade de escolher.

Em uma pesquisa da Gensler sobre o ambiente de trabalho nos EUA (texto em inglês), os resultados mostraram que “funcionários que podem escolher quando e onde trabalham desempenham melhor, são mais satisfeitos e enxergam a empresa como mais inovadora”.

Então, quando você tem um emprego flexível e pode escolher onde, quando ou como trabalhar, sua felicidade, motivação e desempenho no trabalho podem aumentar.

Escolha onde você trabalha

De acordo com uma pesquisa da Global Workplace Analytics, 50% da força de trabalho dos EUA tem um emprego que dá espaço para trabalho parcialmente remoto, e 20–25% trabalha remotamente com certa frequência.

Mesmo que apenas metade dos trabalhadores tenham acesso a essas oportunidades de trabalhar remotamente, mais de 80% dos trabalhadores disseram que gostariam de trabalhar remoto pelo menos dois ou três dias por semana.

Muitos funcionários desejam a flexibilização do trabalho para trabalhar em casa, em uma cafeteria, em uma cidade no exterior ou no escritório.

Há inúmeros estudos que comprovam que o trabalho remoto aumenta a produtividade e a satisfação no trabalho.

Então, se você espera alcançar a flexibilidade no trabalho, primeiro pense em se candidatar a empregos que permitam uma independência física.

Há centenas de empresas (como o Trello!) que adotam o trabalho remoto.

Se você gosta da sua empresa atual ou não consegue encontrar uma boa oportunidade de trabalho remoto, pergunte ao seu gerente se você pode trabalhar de casa alguns dias da semana.

Há muitas oportunidades só esperando para serem descobertas.

Você só precisa ir atrás delas.

Escolha quando você trabalha

Quer você trabalhe remotamente ou em um escritório, talvez tenha flexibilidade para alinhar seus horários com suas horas mais produtivas.

Se você gosta de aproveitar as manhãs, pode ser que queira estruturar seus dias para realizar suas tarefas e reuniões importantes logo que começar o expediente, e então se desconectar no meio da tarde.

Converse com seu gerente para ver se você pode trabalhar em um período que é melhor para você, sendo altamente produtivo o máximo possível na hora de trabalho.

Mesmo que você tenha que bater o ponto às 9h e sair às 17h, ainda é possível ter flexibilidade no trabalho.

Uma estratégia eficaz é dividir as horas do seu dia em trabalhos de execução X gestão.

Ao dedicar certas horas do dia a certas tarefas (ex.: responder a e-mails ou programar uma landing page nova), você estabelecerá limites claros com seu gerente e seus colegas de trabalho sobre quando está disponível para conversar ou quando está imerso em “deep work”.

Escolha como você trabalha

Se você não conseguir conquistar a liberdade de escolher onde ou quando trabalha, não precisa pegar uma foice, invadir os portões e exigir uma revolução.

Em vez disso, você pode pedir flexibilidade em como você trabalha.

Isso pode acontecer nos tipos de tarefas que você faz, nos seus prazos e até na descrição do seu cargo.

Quando você começa um emprego novo, você pode até pensar que a descrição da vaga não possa ser alterada.

Porém, na verdade, ela é bem negociável.

Pergunte a quem fez a contratação ou ao seu chefe se há outras responsabilidades que você pode assumir que seriam mais interessantes para você.

Por exemplo, se você é um gerente de mídias sociais, mas quer aprender mais sobre redação para blog, pergunte se você pode contribuir com um post por mês no blog da empresa.

Esse pedido simples, isto é, um pequeno acréscimo na descrição do seu cargo, lhe dará vantagens em termos de contribuições e experiências.

Com flexibilidade para trabalhar onde, quando e como quiser diariamente, você vai sentir que tem mais controle sobre sua carreira e sua agenda.

Quando você se tornar livre como pássaro, vai começar a ver sua produtividade e felicidade alçarem voo também.

Abrace sua nova liberdade

Uma vez que você conquista a flexibilidade no trabalho ou um trabalho com horários flexíveis, ainda é ideal ter um pouco de estrutura na sua agenda e nas suas tarefas.

Por exemplo, só porque você trabalha remotamente não é desculpa para sumir do mapa por alguns dias.

O excesso de liberdade quanto aos horários de trabalho, onde trabalhar e quais tarefas fazer pode levar à desconfiança — e até a ressentimentos.

Em uma pesquisa das Faculdades de Administração da Universidade de Exeter, de Manchester e de Curtin, foi concluído que dar mais liberdade e autoridade aos funcionários pode surtir um efeito negativo em seu desempenho diário e até dar a impressão de que seu superior não está fazendo um bom trabalho.

A pesquisa concluiu que isso é verdade com trabalhadores que têm tarefas rotineiras e estruturadas.

No entanto, funcionários que executam tarefas criativas relataram se sentir mais empoderados e eficientes.

Com a recém-conquistada flexibilidade no trabalho, há outras armadilhas que podem aparecer no caminho.

  • Procrastinação: Agora que você pode trabalhar onde, quando ou como quiser, você terá muita flexibilidade para planejar sua agenda e organizar sua lista de tarefas. Pode ser que você seja pego pela inimiga da produtividade e adie as tarefas até o último segundo. Não caia na armadilha da procrastinação. Use uma ferramenta de gestão de projetos, como o Trello, para organizar suas tarefas semanais de forma visual e clara a fim de sempre cumprir os  prazos e atender às expectativas de seu gestor.
  • Isolamento: Se você conseguir trabalhar remotamente, pode passar a sentir saudades das conversas em volta da cozinha do escritório. Você pode ser mais produtivo trabalhando de casa, mas não pode mais virar a cadeira e puxar uma conversa com seu colega de trabalho sobre a maratona de Netflix que você fez no fim de semana. Para evitar o isolamento como funcionário remoto, você vai precisar ser mais consciente com sua agenda social, especialmente com seus colegas de trabalho. Agende ligações de vídeo semanais com um colega de trabalho ou com toda a equipe para falar de assuntos não relacionados ao trabalho. Cultivar esses relacionamentos com sua equipe remota ou com os que trabalham no escritório vai ajudar você a ficar mais conectado e em sintonia com a equipe.
  • Falta de comunicação: Se você conquistar uma flexibilidade em termos de onde ou quando trabalha, você não vai estar no mesmo local que sua equipe, o que pode levar a falhas de comunicação. Para evitar essa armadilha, é muito importante usar ferramentas que lhe permitam trabalhar de modo assíncrono com sua equipe. Se você vai ficar offline quase todas as manhãs, comunique isso a todos que precisam saber para que entendam claramente a sua disponibilidade. Para manter a flexibilidade no trabalho, é sua responsabilidade dar uma exagerada na frequência da comunicação para evitar mal-entendidos.

Apesar de sonhar com isto, você não pode dizer para o seu chefe que não vai aparecer no trabalho ou não quer terminar seu projeto de conclusão do trimestre.

Atitudes impulsivas visando a independência vão colocar você na fila do exame demissional.

Se, ao invés, você usar uma dessas estratégias para adquirir mais flexibilidade no trabalho, provavelmente terá mais chances de chegar a uma carreira que você ame.

E você, o que faz para ter mais flexibilidade no trabalho?

Seja um feedback negativo ou positivo, adoraríamos ouvir o que acha. Escreva para atendimento@trello.com.

Leia mais: As melhores dicas sobre o trabalho remoto de 10 empresas inovadoras [Ebook Gratuito]